Câmara nos bairros

PUBLICIDADE

Alerta para o risco de depressão em crianças e adolescentes

depressão em crianças

O aumento expressivo de distúrbios e doenças mentais entre crianças e adolescentes; com um incremento significativo de casos de ansiedade, depressão e outros transtornos mentais em jovens. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 20% das crianças e adolescentes no mundo sofrem com algum tipo de problema de saúde mental, com destaque para a depressão, que desponta como uma das principais causas de doença e incapacidade entre os jovens com idades entre 10 e 19 anos.

Especialistas apontam diversos fatores que contribuem para isso: Pressão acadêmica, uso excessivo de redes sociais e dispositivos eletrônicos, bullying, além de questões familiares e socioeconômicas. A recente pandemia de COVID-19 também teve um papel significativo, intensificando o isolamento social.

A depressão, particularmente, manifesta-se de maneira diferente nesta faixa etária. Sintomas como irritabilidade, mudanças no apetite e no sono, desinteresse em atividades antes prazerosas, dificuldade de concentração e pensamentos negativos são comuns. Em casos extremos, pode haver pensamentos destrutivos e repletos de medo e até tentativas de autolesão. O acompanhamento e apoio dos pais é imprescindível, assim como buscar ajuda profissional de médicos e psicólogos.

Esporte: Um forte aliado da Saúde Mental

Neste cenário, a prática esportiva emerge como uma ferramenta valiosa no combate à depressão infantil e juvenil. Praticar regularmente um esporte é uma estratégia importante na prevenção e no combate à depressão; além de trazer diversos benefícios de saúde física e trabalhar valores como disciplina, foco e concentração, trabalho em equipe e respeito ao próximo; fatores determinantes na formação de futuros profissionais.

Atividades físicas regulares contribuem para melhorar o humor, aumento da autoestima, redução do estresse e ansiedade, além de promoverem a socialização. Esportes coletivos, em particular, oferecem um sentido de pertencimento e melhoram as habilidades sociais. Um bom exemplo disso é o Ligga Campeã, projeto social desenvolvido pela mineradora Ligga em Curionópolis, que oferece aulas de futsal feminino a 50 meninas de 10 a 16 anos.

O projeto foi iniciado em 2023 e já um grande sucesso, com aprovação unânime dos pais e das atletas. É na Quadra Poliesportiva da Escola Municipal Santos Dumont em Curionópolis que acontecem as aulas de formação das atletas no futebol feminino, semanalmente, no contra- turno escolar.

“A Ligga além de disponibilizar gratuitamente as aulas, todo o material e uniformes para as alunas nos treinos, também oferece um lanche saudável, com sucos naturais, frutas, saladas de frutas e sanduiches naturais. E beneficia alunas da rede pública de ensino das comunidades de Curionópolis: Centro, Jardim Panorama, Miguel Chamon, Bandeirantes, Bairro da Paz, Frei Henry, Planalto e Alto da Glória. Apostamos no esporte e na educação como alicerces de vida” ressalta Gerson Petterle, CEO da Ligga.

Sob o comando da professora e técnica de futebol feminino Milka Lima Correia, que também é moradora do município, o time formado em 2023 foi mais que uma oportunidade para a formação de atletas. É um verdadeiro antídoto contra a depressão e tem ajudado a transformar jovens vidas, agregando qualidade de vida e muitos sonhos a todas as meninas.

Ana Luiza Silva não sabia jogar futsal mas decidiu entrar no Ligga Campeã. A jovem moradora do assentamento Frei Henry, aos 14 anos enfrentava um sério quadro de depressão e conta que o esporte foi determinante para sua vida:

“Entrar no Ligga Campeã foi maravilhoso. Não sabia jogar e fui aprendendo aos poucos, e agora atuo bem como atacante do time. Me sinto muito motivada para continuar treinando e aprendendo, para no futuro me tornar uma grande jogadora como a Marta. Mas a grande vitória mesmo eu já tive, que foi superar a depressão jogando. Hoje sou outra pessoa e devo tudo ao esporte e a esse projeto” declarou a jogadora.

Muitas mães e pais acompanham de perto as atletas nos treinos, e comemoram as vitórias do time, dentro e fora da quadra. Eles aprovam a iniciativa da Ligga, pois na cidade não existia um projeto social voltado para o futsal feminino. Segundo os pais, em menos de um ano de treinos, os benefícios são muitos e bem nítidos também em casa.

“Graças a Deus fomos beneficiados aqui com esse projeto da Ligga. A minha filha Maria Victória está empolgada e sempre quer vir treinar. Ela melhorou muito em casa e nos estudos depois que começou a jogar. Antes não praticava nenhuma atividade física e passava muito tempo só no celular. Agora é outra pessoa, e ama o futsal. Como eu também fui jogadora desde meus 11 anos de idade, sei bem os benefícios do esporte e incentivo. Na minha juventude ninguém valorizava o futsal feminino, a gente jogava na terra mesmo, descalça. Mas era muito feliz jogando. Agora vendo minha filha tão bem, pretendo voltar a praticar futsal também, em especial para combater a depressão que sinto atualmente. Com tantos problemas, a gente precisa ter um esporte para se manter bem” disse a atendente de caixa Jennifer Santos, de 26 anos.

Segundo a técnica do Ligga Campeã, a professora Milka Correia, o projeto Ligga Campeã foi muito bem recebido na cidade e foi uma iniciativa inédita voltada para o futsal feminino em Curionópolis:

“Antes aqui só tínhamos times masculinos e foi muito importante a Ligga ter nos dado essa oportunidade. Todas as meninas são bastante empolgadas e há muitas que nunca faltaram nenhum treino. Como professora, fico muito feliz e realizada em acompanhar o progresso delas não só em quadra, mas também na vida pessoal e na escola, como relatam os pais. Elas estão em uma idade difícil, de transição da infância para a vida adulta, e enfrentam muitos desafios. Acredito de verdade que o esporte tem o poder de transformar vidas e influenciar as pessoas para o bem. Sou muito grata à mineradora Ligga por apostar em nós com essa oportunidade. Que nesse ano de 2024 tenhamos resultados ainda melhores com o time da Ligga Campeã”, declarou a treinadora Milka Correia.

SOBRE A MINERADORA LIGGA

A mineradora Ligga, que opera em Parauapebas e Curionópolis com o projeto Ferro Sul, conta com uma gestão moderna e valores alinhados aos conceitos de ESG (sigla em inglês para Meio Ambiente, Social e Governança), e prioriza o desenvolvimento e aproveitamento da mão de obra local em todas as ações que realiza.

A valorização das comunidades é outra diretriz da empresa. O compromisso da Ligga é atuar com projetos transformadores, para beneficiar as atuais e as futuras gerações; através de ações sociais que, além de contemplarem pessoas da comunidade, também ajudam a promover a educação, o esporte e o empreendedorismo.

E mesmo antes de iniciar a obra em escala industrial, o Projeto Ferro Sul da Ligga já atua fortemente na área social; realizando ações que estão beneficiando pessoas das comunidades locais em diversas frentes como saúde, educação e capacitação profissional desenvolvidas pela empresa, com o apoio de parceiros locais como órgãos municipais, Sistema S, entre outros.

Gostaria de saber outros assuntos? Conheça a plataforma https://portalparauapebas.com/, através dela você pode acessar conteúdos interessantes e informativos! Não deixe ainda de conferir outras notícias de Parauapebas e região.

Compartilhar essa matéria

Facebook
Twitter
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

PUBLICIDADE

Js Rastreamento
Essence Estética
Js Rastreamento
Bioquality

PUBLICIDADE