Câmara nos bairros

PUBLICIDADE

42º Círio de Marabá reúne cerca de 100 mil fiéis e tem percurso mais rápido

O início para a tradicional procissão do 42º Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Marabá, sudeste do estado, ocorreu às 7h15, sob um céu nublado, com embarque da berlinda com a imagem peregrina, após missa campal, na Praça Duque de Caxias, Marabá Pioneira, para percorrer 7,5 km, até o Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, na Folha 16.

Este ano, a berlinda acelerou o passo e chegou às 11h05 ao destino, onde foi recepcionada pela banda do Exército, para missa de encerramento. Segundo estimativa do 5º Grupamento Bombeiro Militar (GBM), o 42º Círio de Marabá reuniu entre 80 a 100 mil fiéis em toda caminhada. Trata-se da 2ª maior procissão do estado, que tem o apoio do Governo do Estado, ficando atrás apenas do tradicional Círio de Belém.

Como de praxe, o ponto alto da romaria é na entrada do Bambuzal, ainda na Marabá Pioneira, onde os participantes param, ajoelham-se e fazem orações, pedem perdão à Nossa Senhora e prometem um novo comportamento para o ano vindouro. Ainda na Avenida Antônio Maia, destaque para homenagens à Santinha, com confetes, faixas, altares e fogos de artifício; uma delas realizadas por empresários de uma loja de eletrônica.

Para o bispo diocesano Dom Vital Corbellini, sem dúvidas, esta edição foi um dos maiores círios dos últimos tempos. “Eu me sinto emocionado. É a graça que Deus nos dá, depois de todos esses anos, depois da pandemia. É uma coisa muito linda. Deus seja louvado e que Nossa Senhora leve nossos pedidos a Jesus”, desejou ele. A respeito da celeridade da caminhada, que geralmente atrasa até a chegada ao Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, o padre Fabrício Rodrigues afirmou que a Nazinha correu um pouco, para minorar o sofrimento dos fiéis a fim de que eles possam chegar mais rápido e evitar sol forte e altas temperaturas.

O secretário regional de Governo do Sul e Sudeste do Pará, João Chamon Neto, contou que viveu na manhã de domingo (16) em Marabá, uma sensação extremamente diferente com o retorno do Círio presencial. “Depois de dois anos separados de todos os irmãos, devido à pandemia, estamos agora juntos percorrendo 7,5 km – maior distância quilométrica dos círios do estado-, o que nos deixa com mais tempo próximo às pessoas. Nossa Senhora de Nazaré proporciona o momento de estarmos juntos e felizes e agradecemos a ela por tudo que tem feito em favor de nós em Marabá”, afirmou João Chamon.

Entre as homenagens mais pomposas, a queima de fogos no trevo da rotatória do Km 07 e o palco montado pela prefeitura de Marabá chamaram atenção. Cantores entoando canções líricas, banda da Fundação Casa da Cultura e coreografias marcaram a condecoração.

“O Círio é a maior festa religiosa da nossa cidade, é uma tradição grande, milhares de pessoas de Marabá e da região vem para a procissão. Então temos de fazer uma festa bonita para Nossa Senhora, com essa banda belíssima e danças. Temos de apoiar, porque é uma festa nossa”, destaca o gestor municipal.

Pelo Corpo de Bombeiros, o major Felipe Galúcio, comandante do 5º GBM, caracterizou como “muito tranquilo” o deslocamento na procissão. “O tempo ajudou, todas as forças de segurança em atividades e integradas para oferecer a melhor segurança possível. A perspectiva é que do Círio continuar bastante tranquilo com poucas ocorrências, o que é bastante favorável para tradição e organização da Igreja católica”, garantiu o comandante.

Gostaria de saber outros assuntos? Conheça a plataforma https://portalparauapebas.com/, através dela você pode cessar conteúdos interessantes e informativos! Não deixe ainda de conferir outras matérias!

Texto: Emilly Coelho

Compartilhar essa matéria

Facebook
Twitter
WhatsApp

Veja também

PUBLICIDADE

Js Rastreamento
Essence Estética
Js Rastreamento
Bioquality

PUBLICIDADE